quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Prancha antiga

Quando eu estava para nascer, uma prima do meu pai, bem jovenzinha ainda, veio ajudar minha mãe com a neném que ia nascer e nunca mais quis ir embora. Encantou-se com a cidade grande e suas infinitas possibilidades. Assim, Ailza passou a ser minha irmã de criação. Morou por mais de quinze anos com a gente e só foi embora depois que se casou. Lembro de descer à noite para o quarto da empregada e assistir horrorizada Ailza colocar os longos cabelos na tábua e passar o ferro morno neles. Tinha pavor que ela queimasse a cabeça e ficasse careca. O mesmo pavor que me acompanha ainda hoje quando eu vejo no salão alguém passando chapinha nos cabelos...

1 comentários:

Andréa disse...

Eu tbm tenho horror dessas pranchas.
Uso qdo faço a escova progressiva.
Porém agora a escova progressiva será coisa do passado,pois meus cabelos estão caindo por causa da cirurgia.
Eu já tinha sido avisada,mas confesso que está me deixando meio "em pânico".
Beijinhos

Postar um comentário

Faça parte dessa estória