terça-feira, 22 de setembro de 2009

Primavera de 87

Ele veio ao mundo no mesmo dia que a Primavera chegava. Veio forte, gritando que estava ali, mas logo silenciou ao ser colocado entre os meus seios. E aquele primeiro contato acabou de selar o que já tinha acontecido entre nós por aqueles nove meses, um amor incondicional maior do mundo. O pai então se deu conta que aquilo que crescia na barriga da mulher era de verdade e entre o susto e a emoção não parava de chorar. Correu a mostrar para toda a platéia que esperava do lado de fora sua obra-prima. Deixou assustada toda a equipe médica por sair assim da sala com o bebezinho, ainda sujo de sangue e enroladinho. Mas era urgente gritar ao mundo a sua chegada...

2 comentários:

Andréa disse...

Que texto lindo.
É tão forte esse momento que mesmo que se passassem cem anos ainda assim a gente poderia lembrar com riqueza de detalhes né.
Parabéns atrasado pro filhão.
Qto a caixinha de música,eu sei como é essa espera.
E a gente guarda mesmo,no fundo da alma.
Vc tá linda nas fotos do outro blog,sempre lindona.
Beijos

Daia Marchiori disse...

Amei esse cantinho vou voltar mais vezes...bjo no coração...

Postar um comentário

Faça parte dessa estória